MESAS SINGULARES

20.1.17
A visão fora da caixa sempre me chama a atenção. Gosto de ver como as pessoas lidam com os materiais e as formas e com imaginação, dão um pequeno twist a objetos vulgares, trocando-lhes a função e colocando-os num patamar superior. São ideias vistas nas ruas, em espaços públicos, mas que insisto em registar, pois nada impede que possam ser transportadas para as nossas casas, permitindo-nos sair da nossa zona de conforto e originando ambientes singulares.

→→Em Lisboa, bidons metálicos (ou tambores) foram pintados de cores fortes e dispostos na entrada de uma escola de línguas. Bancos altos, permitem que os alunos sentem e escrevam ou consultem o laptop enquanto esperam para entrar nas aulas.




































WIP

13.1.17
Não é meu hábito mostrar um móvel que comecei a transformar e ainda não acabei, mas a realidade é que a peça tem me dado tanto trabalho, que eu achei que talvez merecesse um post com o durante, quanto mais não fosse para que eu colocasse as ideias em ordem. É um móvel de casa de banho, daqueles que ficavam sobre o lavatório, para guardar a escova dos dentes, as loções e outros produtos de higiene, e tem me trazido algumas surpresas. A primeira, foi que ao desencostá-lo da parede onde estava pendurado há décadas, caiu-me de trás um envelope com dinheiro, algumas notas na moeda antiga, Escudos. Já tinha ouvido falar de pessoas que guardavam as poupanças debaixo do colchão, mas nunca entaladas atrás de um móvel! A segunda surpresa, foi que ao olhar com olhos de ver para a peça e começar a lixá-la, dei-me conta que o espelho central, estava embutido numa antiga pequena porta de armário que teria sido reaproveitada para o efeito. Época em que tudo se transformava e nada se perdia. Para resumir a história, o móvel encontra-se neste momento, naquela fase indefinida, em que até Deus duvida que chegará a bom porto. A minha ideia é tê-lo, dentro de 1 semana, pronto para receber uma pintura pop art. No entanto muitas incertezas ainda rolam: se guardo os puxadores antigos ou opto por uns novos; e o que fazer aos interiores dos armários laterais, só pintura ou algo mais? Bem, mas isso ficará pendente das conversas que ele e eu ainda vamos ter. É que móveis de vida longa têm preferências, gostos e tendências que devemos ouvir.

(MINHAS) LOJAS EM BRUXELAS

3.1.17
O meu primeiro post de 2017 vai ser bem diferente daquilo que é costume por aqui (e um pouco longo também!). Como viajo bastantes vezes a Bruxelas e muitas pessoas perguntam-me o que fazer por lá em termos de shopping, deixo um apanhado das lojas que visito sempre que vou. Não são lojas de roupa, porque nesse quesito sou muito prática e fraca consumidora: o essencial que compro, faço-o em Lisboa, de 2 ou 3 marcas que gosto e conheço tão bem, que muitas vezes nem preciso experimentar. O meu vício é outro! são as coisas de casa! Os pequenos nadas que transformam os nossos lares em únicos. Gosto de registar inspirações, tirar ideias daqui e dali, descobrir detalhes interessantes e absorver novas referências. E nisso, minhas passagens por Bruxelas são prolíferas! As sugestões que deixo, nem sempre são nos circuitos turísticos (mas são bem acessíveis por metro) e dividi-as em 5 categorias: 2 bairros com lojas diversas, casas mais viradas para a decoração, lojas essencialmente de cozinha e lojas craft. Vamos passear?

LES MAROLLES
É na Place du jeu de Balle, no coração do bairro Les Marolles, que ocorre todos os dias de manhã, o famoso mercado das pulgas de Bruxelas. Mas sendo Bruxelas a Capital Europeia das Antiguidades, vale a pena perder tempo nas ruas adjacentes à praça: Rue Blaes e Rue Haute, são as ruas por excelência de brocante, ou seja, velharias, antiguidades, roupas vintage e galerias de arte. Mesmo que a intenção não seja comprar, vale a pena apreciar a diversidade e a vivência do local.

ENTÃO É NATAL...

24.12.16
Tenho uma tendência incrível para empurrar com a barriga as coisas que não me agradam muito. E preparar a casa para o Natal é uma delas. Como se 24 não fosse chegar, ou se vier (como é inevitável) tudo se resolvesse por si só. O pior, é que nada aparece feito sem a minha intervenção: a árvore não sai da caixa sozinha e se monta a ela própria e os enfeites que lotam a arrecadação não surgem nos locais que idealizei como que por magia! Mas ao mesmo tempo dá-se um fenómeno curioso: não sou alheia às decorações que em final de Outubro começam a surgir no comércio, e se forem diferentes, com cores que fujam às tradicionais ou realmente bonitas, sou cliente em potencial! O resultado é que tenho 5 árvores de vários estilos e caixas abarrotadas. Explico isso com a minha veia estética e mente inquieta, que gosta de ser desafiada. Todos os anos preciso montar quatro árvores, em locais diferentes e sempre reclamo da tarefa. Mas todos os anos esforço-me para fazê-las diferenciadas. Reconheço que o Natal traz-me um certo desassossego e sentimentos díspares. O que gosto mesmo desta época é da chegada do Inverno, das árvores nuas, do nevoeiro matinal, das iluminações da Baixa. De poder andar pela cidade e contemplar tudo isso. Sei que é uma quadra de reunião, e com grande parte da família fora, é claro que sou sensível ao esforço que cada um faz para estar presente. Mas sinto falta, muita mesmo, de algumas pessoas que já partiram e isso não me deixa viver o Natal na sua plenitude.
Mas 24 chega, pontualmente, ano após ano, mesmo que eu não queira, então, para os que aqui passam, desejo uma noite muito feliz, porque para mim, também será!

MESAS DE NATAL POUCO TRADICIONAIS

16.12.16
Quando pensamos numa mesa de Natal, logo nos vem à mente, muito brilho, requinte, cores tradicionais da época, loiças temáticas. Mas vamos esquecer tudo isso, porque é possível sim, ter uma mesa festiva, acessível e sem cair no clássico. Particularmente, agradam-me as decorações de Natal, quando estas saem do lugar comum, mas ainda assim nos remetem às festas da quadra. No início de Dezembro estive uns dias em Bruxelas, é uma cidade que aprendi a gostar, e o facto de lá ter uma filha a morar há 6 anos colaborou para isso, onde sinto-me bem e em casa. Como sempre, visitei as minhas lojas preferidas e fotografei 5 mesas que me chamaram a atenção, justamente por utilizarem itens comuns, que podemos usar os 365 dias do ano, e apenas foram adicionados acessórios de Natal para lembrar a época.

Começo pela cadeia Habitat, que nos brinda sempre com artigos simples e modernos. São dessa loja as 3 próximas mesas.
Gostei da sobreposição sem cerimónia de tábua de madeira+bandeja+prato+bowl. Reparem que tudo é despretensioso, até os copos, e o Natal só é lembrado pelos enfeites: bolas, floco de neve sob o bowl, árvore estilizada ao lado dos talheres.






































LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics